São Bernardo estima aportar até R$ 137 mi em publicidade

O governo do prefeito de São Bernardo, Orlando Morando (PSDB), publicou ontem edital para contratação de empresa que prestará serviço de publicidade institucional da Prefeitura. O contrato, que pode ser firmado com até três prestadoras, tem potencial para atingir R$ 137,5 milhões em cinco anos.

A concorrência número 10.006/2021, conduzida pela Secretaria de Comunicação, envolve inicialmente R$ 22 milhões por 12 meses. O acordo possibilita prorrogação por 60 meses (cinco anos) e aplicação de aditivo de 25%, conforme rege a Lei Federal 8.666/93, a Lei de Licitações.

O edital estima que até três empresas prestem o serviço de “atendimento das políticas públicas do setor (comunicação) relativas às campanhas institucionais, educativas e de utilidade pública, compreendendo o estudo, a pesquisa, a concepção, a produção, a elaboração de marcas e logotipos, o planejamento de mídias publicitárias, o desenvolvimento e a execução de ações promocionais e de outras ações destinadas a complementar os esforços de comunicação social”.

A abertura dos envelopes com as propostas está marcada para o dia 8 de abril. No caso de concorrências de contratação de agências de publicidade, além da parte financeira, há etapa de avaliação técnica da oferta, analisada por subcomissão designada pela Secretaria de Comunicação (veja mais abaixo).

Morando tem na comunicação um dos pilares de estratégia de governo. É comum o chefe do Executivo dar sugestões sobre peças produzidas pela equipe. Ele também costuma centralizar as propagandas – raramente os secretários são destacados para aparição em mídia sobre alguma atividade da gestão.

Atualmente duas empresas operam a conta publicitária da Prefeitura de São Bernardo: a Octopus, andreense cujo proprietário é Paulo César Ferrari, e a Max Offices Propaganda e Marketing, sediada em Mogi das Cruzes e dirigida por Alexandre Silva Santasofia.

O contrato foi firmado em 2016, último ano do governo de Luiz Marinho (PT). Desde então, a Octopus gerenciou R$ 27,1 milhões. A Max Offices, R$ 45,5 milhões. Juntas, operaram R$ 72,6 milhões em cinco anos. Conforme as regras contratuais, as agências costumam ficar com 20% do valor destinado às empresas de comunicação. Aplicado esse percentual, a Octopus recebeu R$ 5,4 milhões. A Max Offices, R$ 9,1 milhões.


Marqueteiro de Morando dirigiu atual prestadora do serviço na cidade

Uma das empresas que administram a conta publicitária da Prefeitura de São Bernardo atualmente, a Max Offices Propaganda e Marketing passou por transformações societárias desde que Orlando Morando (PSDB) assumiu o Paço, em janeiro de 2017. E as mudanças envolveram Eduardo Rodrigues de Lima, o Duda, marqueteiro da campanha do tucano em 2016.

À época, a parceria entre o então candidato à Prefeitura e o empresário foi firmada via F.A.R.O Propaganda e Publicidade – conforme prestação de contas à Justiça Eleitoral, a firma recebeu R$ 72,3 mil.

Em fevereiro de 2017, Duda foi admitido como sócio da Max Offices, assumindo espaços de Eduardo Alexandre Godoy Sampaio e Fábio Rogério Máximo Vieira. A empresa, antes sediada em Taubaté, no Interior, foi para Mogi das Cruzes, onde Duda reside.

O empresário passou, então, a comandar concomitantemente a F.A.R.O, a Max Offices e a RP Propaganda. Na RP, também mogiana, chegou a ter como sócios Alexandre Silva Santasofia e Wellington Rodrigo Doi.

Em 2019, Duda Lima se desligou formalmente da Max Offices. No dia 26 de dezembro daquele ano, Santasofia (sócio dele na RP) assumiu o controle da firma, que ainda tinha vínculo com a Prefeitura de São Bernardo. Outro antigo sócio de Duda na RP, Wellington Doi se dedicou à WR Doi Marketing. A empresa, a despeito de ter capital de apenas R$ 1.000, conforme registro da Junta Comercial paulista, foi contratada por Morando para cuidar da campanha à reeleição em 2020. Recebeu R$ 260 mil pelos serviços.

Ao Diário, Duda argumentou que Alexandre Silva “não faz mais parte do quadro societário da RP Propaganda há tempos”.

Questionado se pretende concorrer na licitação aberta ontem pelo governo Morando, o empresário disse que “a empresa que comando não tem o costume de disputar processos licitatórios em cidades onde, porventura, eu tenha participado de alguma forma do processo eleitoral. Não é ético”.

Duda declarou que não participou ativamente da última eleição no Grande ABC, mas que, a despeito disso, “não tem interesse na concorrência em questão”.

O Diário não localizou Santasofia e Doi para indagá-los se ambos têm interesse no certame. <TL>RR


Secretária monta comissão sem ampla divulgação e com prazo curto

A Secretaria de Comunicação de São Bernardo, liderada pela jornalista Thais Santiago, abriu na segunda-feira de Carnaval inscrição de interessados em compor subcomissão que analisará propostas técnicas das concorrentes na licitação para contratação de empresa que gerenciará a publicidade da Prefeitura. O anúncio foi feito em área escondida no site da administração e com prazo exíguo.

A convocação está em uma área pouco acessada no portal, dentro da aba da Secretaria de Comunicação – não foi feita no Diário Oficial, como de costume. As inscrições tiveram início na segunda e se encerram já amanhã. Podem ser feitas pelo e-mail rosana.nogueira@saobernardo.sp.gov.br.

Ao Diário, a Prefeitura de São Bernardo declarou que “o chamamento para participação da subcomissão foi publicado no dia 15 de janeiro de 2021 como forma de dar maior transparência ao processo, uma vez que não existe obrigatoriedade de publicidade para esta etapa”. “Todo o processo está em concordância com a Lei Federal 12.232/2010, sobretudo em seu artigo 10º, com as publicações das demais fases. O chamamento foi publicado na página da Secretaria de Comunicação por se tratar de contratação para prestação de serviço para a pasta.” 

Matéria original: Diário Grande ABC

Filie-se ao Movimento Conservador: www.movimentoconservador.com